dez
26

 

Eis que num sábado desses, minha irmã assinou sua sentença. Ela casou.

Depois dele a enrolar por mais de 6 anos (chuto), ter a arrastado pro norte e sul do país, creio que a própria família já não estava aceitando a malandragem do rapaz.

 

Pra mim o casamento foi o melhor de todos, afinal é minha irmã mais velha e minha familia é a melhor de todas (fato).

Felizmente nenhum dos dois nêgos são de igreja, o que decepou o padre regurgitando clichês ortodoxos que ninguém dá ouvidos e só vão pra não ficar chato comparecer apenas na festa. A cerimonia foi direto no salão (não evangélico… salão de festa mesmo, mané!).

 

 

Preparação Mulheres:

Como mulheres, e portanto gays (elas gostam de homens), a irmã madrinha acordou cedo, num estress infelizmente comum. “Dia de noiva” e “salão para madrinhas” e essa baboseira toda que faz a cabeça das mulheres e desfaz a carteira dum camarada, consomem o dia todo. Imagina passá-lo maquiando, fazendo o cabelo, unhas, bigode e barba pra ser o centro das atenções por máximos dez minutos! Inexplicável a cabeça feminina, acho isso meramente impossível, o que me faz pensar que esses salões especializados na verdade não passam de uma espécie de despedida de solteiros, aonde existe uma porrada de go-go-boys, estrippers e drinks para mulhereda relaxar antes do último respiro.

 

Preparação Homens:

Cheguei na casa do então pré-cunhado ainda de madrugada prum sábado de férias, por volta das 11. Percebi que o infeliz sofreu com a noiva atordoada na noite anterior, então sentei, ainda de regata e chinelos e tirei uma soneca.

Fomos pra casa da mãe dele almoçar, comemos e bebemos umas tantas cervejas na companhia dos pais e do tio cachaceiro dele. “Cachaceiro” não é expressão, o tio realmente curte uma cana, experimentou todos os tipos existentes na casa, e obviamente levou sua filha predileta nos braços.

Tomei duas doses, que casadas com a loira me puseram pra ninar na maior canção existente dum colo fraterno: o silêncio – Tá aí algo que seria mais milagroso que andar sobre as águas (isso até a Bolina faz!), a Nasa podia parar de coçar o saco e inventar o som do silêncio, seria ótimo calçar os ouvidos com fones e evitar os caminhões, ônibus e barulheira do dia.

 

Acordei meia hora antes de sair. Abri o chuveiro,e fiz a pouca barba, aproveitei o gilete e espuma pra fazer as perna e as axilas. Vesti meu terno e saímos.

 

Bem vestidos, comidos e dormidos chegamos ao lugar…

 

set
26

E ae seus toscos aloprados.

Não posto faz tempo por tês meros motivos.

1 – Sem saco. Escrever para meia dúzia de desocupados não é lá algo que alguém prese.

2 – Prison Break. Assisti as 4 temporadas nesses últimos meses pro fdp se matar no final. Porra, o cara tinha um câncer no cérebro! Aonde fica o final feliz com os benevolentes se dando bem e os malfeiores se ferrando?! A fox devia ter proibido aquela porra. Assisti mais de 50 horas de vídeo e nem me deu o final feliz. Filhos da puta.

3 – Cansado. Pois é senhores, estava eu, há uns dois meses trabalhando feito nêgo na escravidão. Fato que apesar de cansado, havia a folga de morar a dois quarteirões de casa, o que possibilitava acordar às 6:45, bater a chépa em minha alcova, e de quebra tirar uma pestana antes da facul.

Ah, bom aqueles tempos de escravidão…

Conquanto, trabalhar feito cãe e ter que estudar a noite seria muito mel na chupeta, das babas de abelhas de Deus, sobre minha alma condenada.

A empresa, decidiu infortunamente me enviar pra uma missão féladaputa: iniciar outra obra, numa outra cidade. Sim senhores. Agora trabalho em outra cidade, noutro estado.

Só não pedi as contas pq não receberia benefício algum, preciso de estágio obrigatório para facl e de quebra a emrpesa me efetivaria.

Óóóóóó sim senhores próóóóóstiétutos. A um mês e tantos atrás fui efetivado como engenheiro!!!

É mentira idiota… Nem sou formado, o que é uma das milhares de variáveis que me impossibilitam pro cargo. Mas fui efetivado como auxiliar de engenharia.

Daí você me pergunta: “Mas que porra é essa?”

Com toda calma e sabedoria lhe digo, seu burrinho:

– Foda-se o que é mano, interessa a você saber, você é alguém pra mim, pra minha vida ou pra minha família?! Fique feliz por eu estar ganhando uns trocos a mais e subindo na maldita escada profissional. É só isso que ovcê pode fazer por mim! Só! E nem espere qualquer agradecimento.

Estou feliz comigo mesmo. Eu me amo e tenho orgulho demim. Além do que, agora toda a culpa é do estagiário idiota que só faz merda, que nunca será um profissional que preste. Estagiário ñao é gente… Deviam até mudar a definição do Aurélio:

Estagiário (art. indenifindo) – Animal irracional fisicamente semelhante ao homo-sapiens; protudor de cagadas; aspirante a braço direito do eng mas que não passa da unha encravada e podre do dedo mindinho da oposta a que ele escreve… – Apenas um adendo, proibiram, à pena de morte, manter a unha do mindinho grande? Faz tempo não vejo aqueles tiozinhos que as cultivavam pra cutucar orifícios do corpo, usar como chave de fenda, apetrecho sexual, abrir cofres de bancos e coisas do tipo… Alguma boa alma deve ter matado esses anticristos vadios…

Enfim, esqueci do que eu tava falando.

Lembrete: Se por acaso algum colega estagiário ler isso, favor ignorar o último parágrafo. O mundo dá voltas e o faz pelo gosto de me foder. Decerto me formarei desempregado e você com um bom cargo. De lá você ri da minha cara, belê,sem rancor… Mas por ora eu rio da sua.

O bom de se iniciar uma obra é que……… ???????? ………. não bom. Nada é bom.

Usar o carro como escritório, não ter internet, impressora, rádio, telefone, tudo isso é foda, mas a maior merda é justamente a merda… Um banheiro, meus caros.

Fato que a gente improvisa um, enquanto levantamos a infraestrutura, mas me acredite, pra quem tem um mícron de higiêne ele é inutilizável. Então, o jeito é utilizar o banheiro do plantão de vendas, cujo qual, eu, ser da maior postura tive acesso.

Ó sim, senhores, pra quem dá m ralo na obra, vey, com uma cambada de peão barbudo virando concreto, aquilo é um oásis de perdição. Um desfile de modas com as vendedoras mais lindas do universo. São anjos. Seres de outro planeta com um aroma nunca antes deleitados por este que vos escreve.

Ahn? Se isso não é bom?

Sabe que tudo tem seus dois lados, pequena criança. Entrar lá, no ar condicionado, e admirar aquelas beldades é de fato bom quando você quer só dar uma mijadinha, tomar uma água fresca, inventar que precisa usar a net… daí sim. Agora pense, e quando vem aquela vontade que você gosta, um dos maiores prazer da vida… Fica chato, não?

Aliás, será insano da minha parte? Dar aquela cagadinha é um dos hábitos que mais tenho admirado nesses dias. Sentar, estralar o pescoço, relaxar, respirar fndo no segundo antes de abrir a portinha… Relaxante, a hora do dia que dá pra parar um pouco. Preciso comer mais verdinho pra aumentar a frequência. Quem sabe não páro de fumar… fico só cagando.

Falando em estralar, que também entra no hall dos hábitos que me desestressam, (estralo o pescoço, os dedos, o pulso, o cotovelo e os dedos dos pés várias vezes por dia) tenho um amigo que diz que estrala seu próprio falo! Cara, isso é mais insano que cacofagia, urinoterapia, ou gostar de cagar. Pra começar é uma parte do corpo que se quer tem ossos! E imagina se dá um tilt e aquela porra se desloca ou sei lá… Porra, é insano cara! Pinto só se tem um na vida… Ao menos no meu caso.

Outra coisa que entra na lista mas perde pra cagadinha é banho. Banho é bom, mas é algo que você não é obrigado a fazer. Convenhamos, tantas vezes já saí da facul louco por um bom banho quente, daí chego em casa e caio direto na cama, acabado. Passei diversas semanas tomando um banho a cada três dias! Já a beleza da cagadinha é que vocÊ não tem como evitar, é um momento de desestresse que você é obrigado a realizar. Tem coisa mais gostosa do que a obrigação ser prazeirosa? Ponto pra cagadinha!

Outras das coisas que tornam a vida suportável, é a higiêne ouvidal. Minha coordenação pra enfiar uma porra de um cotonete no ouvido é irreal. Posso infincar a haste azul-transparente na minha retina, mas no ouvido não. então peço socorro pra minha mãe ou irma que o faz pra mim. Sabe aquela dorzinha no fundo do túnel (do ouvido) que te faz tremular a pálpebra.. Não se da onde, mas tenho como fato que é o mesmo prazer que os cães sentem quando a gente carinha a pánceps deles até caírem no chão de tanto relaxamento. Por isso desde criança te avisam que não pode cutucar, é perigoso estourar o tímpano e blá. Isso é tudo uma farsa, tolinhos, nem deve existir o tal do tímpano, eles o dizem pq é vicioso e você se tornaria um vagabundo com uma haste no furinho. Não que tenha mudado algo pra você, mas eles tentaram. Esse prazer perde pra cagadinha porque precisa de alguém com o dom pra fazer. Certamente a futura progenitora de minha prole deverá constar a habilidade de cutucar ouvidos no currículo.

Tá aí, provei por A+B (essa porra de ditado faz sentido pra você?) que de fato é um prazer inigualável. Segue abaixo um check list pra você se dar bem na cagadinha.

1- Papel Higiênico. Sempre, mas sempre, forever and ever, lembre-se de verificar a quantidade de papel higiênico, jornal, ou cueca existente antes de iniciar o ato. VocÊ não quer ficar cagado o resto do dia.

2- Descarga. Pressione a descarga antes do ato. Pressione ligeiramente, não deixe a caixa acoplada esvaziar, às vezes só há água nela. Certifique-se de que há vazão quando o registro aberto. Você não quer deixar seu jacaré flutuando para o próximo relaxante.

3- Ambiente externo. No caminho do toallet, de soslaio avalie o ambiente externo. Seja sensível às pessoas existentes. Cada ambiente requer um nível social adequado, vocÊ deve se tornar um camaleão. Isso é um fato de extrema importância. Você não quer fazer a maior barulheira com seus toroços caindo ou flatulando igual a um corno quando há uma cambada de mulheres do outro lado da porta… Elas vão te achar porco e nojento.

4 – Lixeira. Lixeira é um dos objetos mais importantes no ato. Estranhamente, as pessoas têm a errada mania de colocar a lixeira do lado esquerdo quando sentado. Isso é um erro. A maioria da população é destra, portanto o papel e a lixeira devem estar do lado diretio do seu corpo. Limpar o interpolo das nádegas e ter que se contorcer pra jogá-lo fora é fora de cogitação. Desloque a lixeira para o lado certo. VocÊ não quer deixar o papel cagado cair sobre suas cochas no momento do limpar-o-ânus-e-ejogar-o-papel-fora.

5- Janela.Certifique-se dela aberta e lembre-se que maioria das pessoas concluem erroneamente que ela serve pra esvairir o mal cheiro. A janela tem um papel muito mais romântico. É por ela que a brisa fresca de fora vem e rouba o calor do teu corpo. Afinal, você não quer cagar e sair todo suado.

6 – Privada. Você pensa que o mundo se prova errado quando analisa as privadas. Por acaso você caga branco igual a cerâmica do vaso? Claro que não meu pequeno ingênuo. É nessa linha tênue que a sociedade separa os meninos dos homens. A burguesia dos tempos passados assim os fizeram como teste do seu intelecto. Não só a cor, que seria a questão A, mas também o formato. Muitas delas têm um formato do qual após o ato, sempre deixará seus rastros internos na parede dela. Cabe a você, culto e inteligente, analisar a geometria e cor do assento. Posicione-se de forma a não deixar rastros, mesmo que suas nádegas fiquem quase que pra fora dela. Você não quer deixar uma Cordilheira dos Andes marrom nas paredes brancas do palácio.

7 – Isqueiro. Deus, apesar de bom, é sacana, mas somos espertos e inventamos o isqueiro. Após o ato, você olha ao redor e acha que o cheiro não está tão forte assim. Ledo engano meu caro, Deus é tipo Sérgio Malandro, Ele faz pegadinhas que você caí e fica rindo lá de cima, Ele te fez pra acostumar com o odor que sua criança exala na piscina, você acha que está oquei e deixa aquele perfume podre por lá. Aí entra a inteligência humana. Carregue sempre um isqueiro pra garantir um mínimo de ar respirável pro próximo da relaxagem. Acenda o isqueiro no momento que precionar a descarga. O barulho da vazão d’água abafará o som da pedra do isqueiro sendo riscada. Você não quer que as pessoas pensem que estava fumando unzinho enquanto defecava.

8 – Aproveite. Seu sistema corporal não permitirá esse prazer pra sempre. Ficando velho, infelizmente você usará fraldas e o ato já não será tão prazeiroso. Lembre-se, aproveitar esse ato é sadio e garantirá melhor performace na sua vida profissional e amorosa.

Agora só nos resta desestressar.

__________________________________________________________________________

Há algum tempo atrás havia pensado nesses tutoriais pra vida. Decidi começar pra ajudar a melhorar a sua, já que a minha está fodida.

Dito isso, resolvi abrir espaço pra quem quiser, gostar, ou simplesmente escrever algo do tipo. Sempre pensando em ajudar o próximo.

A seção se chamará Cursinho pra Vida e está aberta aos milhares de escritores que lêem. Inclusive você Jimy, que deve ser o único que lê todos e gosta de escrever.

Abracetas,

Faleçam,

e Caguem.

Grato.

set
16

http://www.youtube.com/watch?v=Ep07QZ4YFVo&feature=player_embedded

http://pt.wikipedia.org/wiki/Silas_Malafaia

Até quem mora de favor e recebe ajuda financeira?!

Não tem escapatória. haha

Só não sei se é mais hilário-revoltante que horário político.

Chupinhado daqui ó:

http://www.treta.com.br  —> o blog com mais asneiras da face da terra.

ago
08

Pois é senhores prostiétutos, cá estava com a viola nos braços tentando relembrar o ritmo de algumas coisas já escritas guardadas no fundo da gavetóide.

Achei em wordpad e relembrei essa cançoneta que fiz a pelo menos dois anos para alguém que esteve comigo por dois anos.

Sem mais delongas e choradeira, vai mais uma mal acabada.

Ah pessoas, fato que estive tentando escrever coisas pra continuar na aspiração de fazer algo bom em algum dia, mas parece que o pouco de criatividade que eu tinha evaporou da caixola. Então relaxem que essa seção dura pouco.

http://www.4shared.com/audio/fiOKLafe/Quatorze_-_Duka_Shima.html

____________________________________________

Não gostou? Sem problemas. Que um raio caia sobre sua cabeça e te deixe surdo, ouvindo apenas sertanejo e axé. Clica alí do lado e tenta outra (portfólio de um artista sem futuro). Abracetas. ____________________________________________

Quatorze – Duka Shima
Deveras suave, num tom de neve polar
Devoras atenção, a fome do mundo é ínfima
Aconchegante é o imperfeito e literal amor por razão
Me faz feito servente, o indiscreto servo do meu coração
e o quê da razão é o que pulsa minha vida são as pseudas condições
E nosso amor que dura e vai além do que se imagina
Pseudas condições
Você fez chover, eu sei, eu fiz trovejar
O que importa agora, meu bem, é que quatorze sempre virá
Fosse em outros tempos, fosse em outras vidas
Fosse em outros corpos, fosse em outras línguas
Fosse o que fosse minha linda
Minha alma nasceu pra te amar.
ago
01

Férias. São nas férias que eu me lembro que ainda sou adolescente. Voltam aqui pra terrinha gente de tudo que é canto. Amigos que foram estudar fora da cidade, do estado e até do país.

Infelizmente a folga é só acadêmica, me libertando do cotidiano somente nos fds. Talvez seja melhor, caso contrário estaria morto, jurado, doente ou odiado por muita gente.

Agora já está acabando. Mas juro, tentei aproveitar da melhor forma, bebendo bastante com os amigos. Certamente eles são os únicos que não te abandonarão. Ainda mais no meu caso que só tenho amigos incapazes de segurar boas moças ( que decerto barrariam minha amizade) e acabam num bar bebendo pra dar risada. Sim, a bebida é a melhor invensão feita pela humanidade pra sanidade masculina. Ou insanidade, dependendo da dose.

É sempre engraçado estar com os caras, a gente acaba relembrando coisas do passado e fazendo coisas joviais, como se tivéssemos aquela idade doutrora (acho essa palavra bonita).
Estavamos nós, bebendo a noite toda num barzinho e ouvindo rock da banda qualquer que toca rock qualquer. Já inundados de whiskys e brejas e o bar pra fechar, decidimos ir pra casa do camarada. Sim, eu e mais dois, totalizando três. Não fizemos orgias homossexuais como antes, nossos corpos já não aguentam e teríamos parada cardíaca, então apenas bebemos mais um tanto, conversamos e por hábito começamos a mexer na net.

Engraçado. Ando tão dessocializado que não recebo emails diferentes de propagandas ou de notícias de um cadastro qualquer, mas ainda sim é a primeira coisa que faço quando acordo não atrasado ou quando chego em casa com tempo é abrir meu email. Troquei até meu cel por um com wifi. Sim, eu, tão caipira.

Enfim, estavamos nós bêbados com a internet conectada. Por algum motivo que não me lembro decidimos fazer um jogo que inventamos na hora e achávamos que seria engraçado, não sei como surgiu ou da onde veio. Eu sei, com 23, deveríamos fazer jogos sexuais com nossas namoradas, e não ficar na internet de madrugada como nerds que somos. Mas assim somos.

O jogo consiste no seguinte.
Junte dois amigos antigos e sabidamente retardados. Forme uma roda, ou no caso um triângulo. Comece pelo mais bêbado e após o três some a quantidade de dedos expostos. Abra o orkut dele e entre na comuna do colégio aonde vocês estudaram por nove anos. A idéia é xavecar a menina cuja foto esteja na numeração ordenada. Aí você me pergunta?
– Mas Duka, e se cair numa professora, criança, ou uma absurdamente feiosa com cara de coco?!
Calma filho, o jogo não é tão simples e foi desenvolvido por especialistas da área gamer. Existe uma margem de segurança que varia de um pra mais ou pra menos, podendo você, infeliz, fazer sua melhor escolha. Daí você chato como sempre me pergunta?
– Mas e se cair numa feiosa, e um mais for uma professora, e um menos uma criança?! Hã?
Calma, meu filho. Tá vendo como o jogo é instrutivo, vai aprender que na vida muitas vezes você se fode e o melhor a fazer é procurar a opção menos fodatória pra você.

Não acaba por aí. Estava você achando que rolaria qualquer xaveco mequetrefe desses que você aplica nas suas noitadas? Jogos de azar não são tão simples assim, fião.
Agora a segunda parte é entrar na desciclopédia e baixar a lista de cantadas infalíveis. Após o três some os dedos e ache a cantada que lhe coube, claro que existe tbm a margem de segurança de mais ou menos um. Jogo estratégico. Aplique-a e divirtam-se.

Claro que como todo jogo de azar, quem ganha é sempre a banca. Tá aí uma parte da lista de xavecos da desciclopédia.

Meu nome é Anônimo. Isso é pra você saber o que gritar na hora H.
Eu tenho o taco e você o buraco. Vamos jogar sinuca?
Oi, lhe dou 10 vestidos, se me der 100 calcinha

http://desciclo.pedia.ws/wiki/As_maiores_cantadas_infal%C3%ADveis

Isso que essas são as fracas, têm tantas com putaria tão pesada que fiquei até horrorizado. Cruzes!

O pior de tudo é que tem meninas que adicionaram meus camaradas. Mujeres…

 

maio
30

Queridos desocupados que freqüentam esta pocilga. Estou de mudança (depois um post melhor escrito) e portanto sem net por pelo menos mais umas duas semanas.

Tô aqui escrevendo em pleno domingão antes das duas da casa de um brother de mogi que está nesse instante almoçando com a família e namorada lá em baixo. Sim, consegui chegar na hora em que a turma se preparava para comer… sou um desastre.

Enfim, enquanto vou estudar aqui em mais um fds, você vai ficar aí coçando as nadegas e visitando blogs inúteis. Decidi fazer esse favor, não precisa mais entrar por aqui nesse próximo mês, não haverá posts.

Faleçam.

Grato.

maio
17

Semana passada eu e minha mana estavamos voltando da facul. Encontramos um colega de classe, pai de família, inteligente pra caramba e que trabalha pra uma grande empresa nacional de estradas. –

O filho dele é cômico. Vira e mexe ele o leva nas aulas de sábado, por opção do moleque, que abre um livro de biologia ou história e fica lá sentado devorando a bagaça. O guri já deve ter lido mais livros do que você leu na vida, contando até os gibis da mônica na hora da necessidade.

Conversavamos sobre assuntos quaisquer que acabou nos levando ao curso da minha mana, nutrição. Ele se empolgou ao discorrer sobre um certo programa da multishow ou outro desses canais gays, que se trata de um culinário inglês que planta no quintal seu próprio rango verde orgânico, mata a faca os bichos pra comer, sem qualquer frescura, cozinha numa fogueira improvisada no quintal e um monte de outras coisas de um cara bem maluco da cabeça.

Cara, é genial. Eu queria chegar a esse ponto: matar, pescar e colher o que comesse… Mas deve ser muito cansativo e tomaria muito meu tempo. Provavelmente acabarei mesmo num apato classe média comendo lasanha de caixinha e salada banhada em agrotóxicos lotada de sal pra subir a pressão, só por desencargo de consciência.

Eis que dois dias depois, no intervalo, ele lá da primeira fileira acena pra mim na última, gesticulando que queria falar comigo. Pois bem, óbvio que estava doido pra descer e fumar um cigarro nos minutos entre os módulos, mas claro que fui de encontro dele em meia rota sem raiva mortífera.

Ele trazia consigo um embrulho caprichado, cor cinza. Pensei que fosse chocolate, mesmo eu não sendo mulher. Abriu um sorriso e me relembrou o tema daquele papo antes de me entregar o presente dedicando a minha irmã. Logo de cara estranhei, mas aceitei, claro. Abri na frente dele, depois de sua permissão.

O cara, Seu G., foi até a Nobel e comprou o livro do tal inglês pra presenteá-la. Sorri sincero, e prometi que a entrega seria feita naquela mesma noite.

Entreguei pra ela. Comentei com minha mãe.

A primeira reação de ambas foi tentar achar explicação pro ato antes mesmo de agradecer ou ficar feliz. Juro, tipo, por qual intenção ele se daria tempo pra ir numa livraria procurar um livro pra presentear alguém que mal conhece. Na hora chateei por elas pensarem assim, porque pelo pouco que o conheço vejo bastante inocência naquilo que fez. Em segundo tempo, percebi que se fosse o contrário eu também estranharia bastante a ponto de ficar com o pé atras.

Porra, incrível como a humanidade nos torna desumanos.

http://www.youtube.com/watch?v=GOvQByqZyBs

Nota – Não é Adriana Calcanhoto, e sim a ex muié do cara.

No final das contas elas concordaram que foi bacana. Ou só fingiram.

Depois faço a receita com o seguinte feijão pra você

Sei que vai adorar.

Mentira. Não vou fazer nada pra você. Odeio as pessoas, incluindo você que ainda se enquadra como animal irracional, porco de pernas.

Confissão de adolescente: ainda quero fazer algum curso básico de culinária, deve ser bacana. O problema é que já é meio gay, e os caras ficam fazendo livros com um alemão sadio na capa e páginas cor de rosa…

Enfim, faleça humanidade

Grato.

maio
06

Senhores prostitutos e senhoritas lésbicas, venho com penar comunicar meu falecimento às 19:00hs desta última sexta, 01, quando fui visitar a médica.

Chega seu porco animal, já pode tirar esse sorriso babaca da cara, não tenho nenhuma doença terminal ou problemas com ereção, ainda.

Senhores e senhoritas, eu, no auge dos meus vinte e três anos fui procurar a derma por problemas com acne (bolota nojenta cheia de pus, pros incultos)! Pois é, de uns três meses pra cá essas porcarias nojentas de líquido saboroso começaram a brotar na minha linda tez sem qualquer motivo aparente. Tava levando na boa até a coisa desandar de vez e meu rosto ficar completamente bichado. Te mostro quando te encontrar pela rua e até espremo uma grandinha prum lindo chafariz e quando abrir a boca espantado com tamanha beleza espremo outra pra dentro da tua boca te supreendendo com tamanho sabor que tenho (isso tá parecendo conto pornô gay – não que eu leia toda terça).

A única coisa que me animou foi ela dizer que é “normal”. Coisa de jovem, sabe como é, ainda estou na puberdade… Mas daí lembrei que esses médicos ficam tanto tempo estudando que perdem a noção da idade. Alegria de pobre é foda.

Única solução além de nascer de novo é tomar um tal antibiótico e passar uns cremes de viado que tô passando religiosamente. Pois é, seus gays, é foda ser jovem… Bom pra vocês que já passaram por tudo isso.

O grande problema pra mim é que por causa desse remédio não posso beber. Vai idota, agora pode se mijar de rir. Pra piorar essa porra deve durar uns dois meses, agora já pode se cagar de rir.

Pois é prostitutos e lésbicas, Duka desfaleceu, ressurgindo um antigo guri cheio de responsabilidades e sanidade…

Prazer,

Eduardo.

Grato.

abr
25

Minha mãe sempre disse pra eu não falar com pessoas na rua e nem com esse tipo aqui:

Quem diabos lhe aconselha a correr nú pela rua pra espantar a deprê?

ps. Aline, sua identidade está a salvo pq risquei seu nick.

abr
22

Dias atrás recebi um poema dedicado a mim! Sim, senhores prostitutos e srtas lésbicas.

Fiquei incrédulo. Nunca vi tamanho sentimento e perfeição nas palavras, cada quais estudadas à fio pra se encaixarem numa harmonia que ultrapassa o esplendor…

Caras, não brinco, tudo devidamente métrico, poético e perfeito.

Decidi não ser egoísta como de costume e partilhar com você, mesmo que gay, tal pérola magnífica não pode ficar somente aos meus olhos, seria um crime:

Ao meu amigo Duka – Carol Maria, a doida

Meu amigo Duka…. é uma biscaputa.. parece ser caduca… e
soh mexe na peruca…
é meio estranhão.. não tenha medo não… ele não tem um
coração .. e sim uma nação
vive inundado…. meio embriagado…. as vezes desolado…
mas sempre retardado
quer ser engeheiro.. conhecer o mundo inteiro.. globalizar
seu som maneiro.. e virar um roqueiro
e lah em suzano… q lugar humano…vive um cotidiano…meio
insano
mais um esbarro…. deu pt no carro…acendendo um
cigarro…e ainda tirou um sarro
não é mtu astuto…sem controle absoluto…e sem atributo…
quebrou ate o braço do Guto
e com o Henrique.. se sente todo chique..eles bebem no
alambique…e tem tremelique
já com o galego.. ele tem um aconchego…fala ate
grego….nossa que sossego
E tem a prima…q conhece bem o shima… antes que ela me
reprima.. vou parar essa rima
mas quem imaginaria… q um dia conheceria.. uma tal de maria.. q fim
isso teria?
fumam pelo nariz… fazem chafariz… praticamente infantis..
mas com uma diretriz…
é uma amizade.. sem falsidade…nem vaidade…houve certa
afinidade!
Aqui eu me despeço.. termino o meu verso… e confesso…
vai fazer o maior sucesso!

Só não entendi a parte “sem atributos” mas valeu mesmo assim Maria Doida, representou a conexão ZN-ZL… é nois! haha

Aproveitando o embalo do nêgo dançarino, vai daqui outra canção mal gravada e sem ritmo dos tempos da caverna.

Deveria gravar e regravar até sair uma boa… mas como é pra você, pouparei-me do serviço.

Enjoy, se puder… Se não, faleça mesmo.

Grato

http://www.4shared.com/audio/OtVRiciE/Jaula_Medo_Metal_-_Duka_Shima.html

____________________________________________

Não gostou? Sem problemas. Que um raio caia sobre sua cabeça e te deixe surdo, ouvindo apenas sertanejo e axé. Clica alí do lado e tenta outra (portfólio de um artista sem futuro). Abracetas. ____________________________________________

Jaula Medo Metal – Duka Shima

Eu quis lhe revelar
Me sinto bem aonde você está
Mas não tive força pra tal
Eu continuo preso feito animal
Nessa minha própria jaula
Barras feitas de medo-metal
Sentimento tão fatal
Me destrói feito doce no sal
Jaula-medo-metal
Sem querer lhe pus em minha vida
E o que sobrou é só o pus da ferida
Sem você fiz cem promessas
e mais trocentas zilhões de rezas
Tudo bem, não tenha pressa
Mas quando vier traga mais de mil compressas
Pra tentar curar meu coração
Eu nem vou gritar
Nervos hão de se acalmar
Não tenha pressa
Mas quando vier traga contigo promessas
Pra nossa história eu escrever em comédia-romântica
_______________________________________
Aposto um fardo que ao ler o título você achou que o post seria dedicado a você… tsc, otário…